“ZIMA BLUE” E A HISTÓRIA DA ARTE – Fil Felix

Em março a Netflix lançou a primeira temporada de Love death + robots, uma antologia animada com 18 episódios curtos, cada qual criado por uma equipe diferente e também com estilos de animação diferentes, mas sempre abordando questões que envolvem o amor, a morte e, claro, robôs e muita ficção científica. Como em qualquer antologia,... Continuar Lendo →

“A HORA DOS RUMINANTES” E O POVO BRASILEIRO – Eduardo Selga

Você, leitor, conhece Manarairema? Para quem tem alguma intimidade com Manuel Bandeira, a cidadezinha é uma espécie de anti-Pasárgada, pois lá a existência não é uma aventura, não há facilidades da tecnologia como telefone automático, tampouco é lugar com ares utópicos para onde se quereria fugir. Está mais para Macondo, não obstante o famoso romance... Continuar Lendo →

O PRETEXTO – Lezir Ishigawa

Pode conferir: a produção cinematográfica de países economicamente avançados possui, de algum modo, relevante participação do Estado. Isso muitas vezes é válido também para outras manifestações da cultura, como o teatro. Entretanto, cabe uma pergunta: por que isso acontece, se é de se supor que em tais países as regras de mercado funcionam a contento,... Continuar Lendo →

DO NADA AO ZERO – Paula Giannini

  “Me batizaram com o nome Maria. Mas o meu nome é Iraxeru. Dos Munducurus. Índia. Era na beira do Tapajós. Era aqui. A gente vivia aqui fazia tempo. (...)A gente dormia na rede. Dormia e sonhava com a chuva. Trovoada. Era barulho. Nem era trovoada, às vezes. Era só barulho de castanheira. Ouriço de... Continuar Lendo →

Blog no WordPress.com.

Acima ↑

Crie um novo site no WordPress.com
Comece agora