ENTRE METÁFORAS, LAMA E POESIA – Paula Giannini

"Talvez, e por pouco tempo, essa seja uma das última atividades gregárias que nos restarão" Daniela Thomas (sobre o teatro) Se correr, o bicho pega. O que nos torna humanos? O que nos afasta da selva, do risco iminente de, sendo presa e predadores, existirmos apenas, dentro de um sistema no qual tudo o que... Continuar Lendo →

Anúncios

O FEIO E O ESQUISITO – Paula Giannini

"Tenho duas armas para lutar contra o desespero, a tristeza e até a morte: o riso a cavalo e o galope do sonho. É com isso que enfrento essa dura e fascinante tarefa de viver." Ariano Suassuna  O que provoca seu riso? O quê? O gordo? O magro? O contraste entre ambos? Um cidadão de... Continuar Lendo →

AS MULHERES DE SHAKESPEARE – Paula Giannini

“O mundo inteiro é um palco E todos os homens e mulheres não passam de meros atores Eles entram e saem de cena E cada um no seu tempo representa diversos papéis.” William Shakespeare Prezado senhor (ou senhora, não sei, em meu século há controvérsias estranhas). Por aqui, dizem que o senhor poderia ter sido... Continuar Lendo →

ILHADA EM MIM – Paula Giannini

"O jorro de sangue é poesia. Não há como estancar". (Sylvia Plath) Escuro Em cena, aos poucos, a luz revela os atores que, no palco, vivem Sylvia Plath e Ted Hughes, em uma entrevista. O que se ouve são as autênticas vozes do casal. O que se vê: os atores recriando em performance seus silêncios,... Continuar Lendo →

DO NADA AO ZERO – Paula Giannini

  “Me batizaram com o nome Maria. Mas o meu nome é Iraxeru. Dos Munducurus. Índia. Era na beira do Tapajós. Era aqui. A gente vivia aqui fazia tempo. (...)A gente dormia na rede. Dormia e sonhava com a chuva. Trovoada. Era barulho. Nem era trovoada, às vezes. Era só barulho de castanheira. Ouriço de... Continuar Lendo →

STABAT MATER – Paula Giannini

“– Apareceu em seguida um grande sinal no céu: uma Mulher revestida do sol, a lua debaixo dos seus pés e na cabeça uma coroa de doze estrelas. Estava grávida e gritava de dores, sentindo as angústias de dar à luz. (…) Ela deu à luz um Filho, um menino, aquele que deve reger todas... Continuar Lendo →

DE REDES E CONEXÕES – Paula Giannini

É noite de estreia. A bordo de um Uber Juntos ouço na rádio o anúncio do espetáculo Até que a morte nos separe, no Teatro Itália, quartas e quintas-feiras às 21h, em curtíssima temporada. A peça, com texto de Paula Giannini e direção de Amauri Ernani, é uma produção de Rita Malot e Walmir Santana, que também dividem o palco, diz o... Continuar Lendo →

POESIA ILUMINADA E SUPERLATIVA – Paula Giannini

A luz... é a sombra de Deus... Albert Einstein Como vai a Regina? — pergunto em meio ao café, ou melhor, ao sorvete de iogurte com calda de frutas vermelhas. Vai bem, ótima, ele diz. Fazendo uma peça linda, toda cor-de-rosa, finaliza. Cor-de-rosa. Imagino a cena iluminada em tons da cor. Pinks, magentas, “bebês”, corretivos... Continuar Lendo →

Blog no WordPress.com.

Acima ↑

Crie um novo site no WordPress.com
Comece agora