O PULSO – Sandra Godinho

Foi no meio do Largo do Machado onde me deparei com o corpo atravessado, estatelado no piso de cimento frio. Em pouco tempo, formou-se um alvoroço de gente ao redor do desconhecido, sem se importar com o sol escaldante e os berros recém-nascidos que cresciam indignados a cada minuto em frente à Matriz de Nossa... Continuar Lendo →

O NOSSO LIXO – Madame Cat

Venho percebendo um aumento exponencial do lixo produzido no Brasil, inclusive em minha casa; do papel higiênico, que em desobediência civil-familiar continuamos usando diariamente, passando pelos plásticos, vidros, metais e desembocando na emissão de massivo gás carbono verborrágico. Um grande mistério envolve o processo: o que consumimos parece muito menos volumoso do que o descarte... Continuar Lendo →

ALEGRIA DE ESCRITOR É ESPANTAR-SE – Sandra Godinho

Dia desses, graciosamente, recebi o livro Espantos para uso diário, do amigo e escritor Mário Baggio. Particularmente, além dos curtos contos, eu me encantei com a dedicatória que faz menção ao espanto, “mola propulsora do fazer poético”. Desde que somos seres tombados dos céus, plenos de consciência, trazemos conosco essa incrível capacidade de nos espantar,... Continuar Lendo →

VOLTA, QUE DEU MERDA – Madame Cat

Sou um pouco ansiosa, então já sofro por antecipação, procurando argumentos válidos para explicar à minha neta, no auge de seus sábios nove meses de existência, o motivo de a minha geração estar entregando um planeta tão fodido ao seu pai. Ela que, futuramente, terá de arcar com a fatura de nossa incompetência ambiental. Ao... Continuar Lendo →

HOMENS COMO NÓS – Sandra Godinho

Ainda me encontrava em cima do viaduto dos suicidas quando a noite engoliu a luz em plena três horas da tarde. São Paulo se tornou um breu. Por um momento, achei a penumbra oportuna para velar meu dia vendado pela ignorância, vendado pelas palavras que chegam cansadas aos ouvidos, vendado por olhos que não fazem... Continuar Lendo →

BALA DE INTENÇÃO – Cinthia Kriemler

Inicio as primeiras linhas de um conto sobre crianças vítimas de violência urbana quando me lembro de que tenho de entregar esta crônica para segunda-feira. O texto sobre meninas e meninos vítimas de balas perdidas vai ter de esperar. Não gosto dessa expressão — bala perdida —, uso por já ser consagrada. A expressão “perdida”... Continuar Lendo →

A CENSURA DE ESTIMAÇÃO DE CADA UM – Madame Cat

Segundo o Dicionário Online de Português censura é “A ação de controlar qualquer tipo de informação, geralmente através de repressão à imprensa; restrição, alteração ou proibição imposta às obras que são submetidas a um exame oficial, sendo este definido por preceitos morais, religiosos ou políticos.” Partindo da premissa de que todos nós possuímos preceitos morais,... Continuar Lendo →

O ANÚNCIO DE EMPREGO – Sandra Godinho

Depois de passar manhã e tarde vendendo versos no Viaduto do Chá, dei meu turno por encerrado. Enrolei a cartolina que servia de anúncio dos meus préstimos e guardei-a na mochila, juntamente com a câmera fotográfica e meu bloco de notas. Ainda me faltava a ideia para o best-seller, mas isso fazia parte da contingência... Continuar Lendo →

Blog no WordPress.com.

Acima ↑

Crie um novo site no WordPress.com
Comece agora